PAPO DE BOTECO: FÓRMULA 1 – AI, QUE SONO! por Mário Rubial

PAPO DE BOTECO: FÓRMULA 1 – AI, QUE SONO! por Mário Rubial

508
0
COMPARTILHAR

Li, com muita atenção, o artigo do meu colega de blog Jan Balder, sobre a Fórmula 1 atual.

Sou um aficionado por esportes a motor e lembro muito bem do Jan piloto. Ele faz parte da história do automobilismo brasileiro, para o qual deu uma importante contribuição.

Mas voltando ao artigo em questão, Jan Balder analisa com precisão o atual estágio da Fórmula 1. Em resumo, uma chatice.

Parece uma corrida de donzelas, tamanha a preocupação em não bater, não gastar os pneus, economizar combustível, não ultrapassar o companheiro de equipe e mais um monte de viadagens.

Uma monotonia se compararmos, por exemplo, com o atual estágio da nossa Stock Car. Emoção do começo ao fim!

Para os setentões como eu, acostumados com a velha F-1 de Stirling Moss, Jim Clark, Chris Amon e depois nossos Emerson, Piquet e Senna, fica difícil acompanhar essa “delicada” competição atual.

Como se não bastasse, os contratos são verdadeiras prisões. Um piloto não pode ultrapassar o outro sem autorização da equipe, sob pena de multa, rompimento de contrato etc. O Rubinho que o diga.

Para se ter uma ideia de como eram os pilotos antigos, conto uma historinha do Piquet pai.

Por volta de 1998, eu trabalhava na área comercial da TV Globo e recebemos o Nelson Piquet para um almoço. Ele tinha um projeto que consistia em utilizar motores BMW para construir monopostos para pilotos estreantes. E gostaria de contar com a parceria da emissora na transmissão de algumas corridas. Infelizmente o projeto não andou porque, na época, a maxi valorização do dólar inviabilizou a iniciativa do Piquet.

Mas no almoço, aproveitei para tietar o piloto e ouvir suas deliciosas histórias.

Contou-nos que, se bem me lembro, numa corrida da categoria turismo na Alemanha, ele recebia ordens do box para não ultrapassar determinado companheiro da mesma equipe. Numa das paradas programadas, ao ser repreendido por não seguir a ordem, disse calmamente que estava com problema de audição.

Bem diferente dos dias de hoje, desta sonolenta F-1.

E se a emoção não voltar, já tenho uma sugestão: Pedir para o Jan organizar uma corrida de veteranos. Chame o Emerson, Wilsinho e quem mais tiver dando sopa, que se reconstruam as antigas carreteiras e rumo a Interlagos. Pelo menos, vai ser divertido.

 

FRASE DE BOTECO

“O 2º colocado, é o primeiro dos últimos. ”

Nelson Piquet

SEM COMENTÁRIOS

Comments are closed.