NOVA LEI REGULAMENTA A ATIVIDADE DE BLINDADOS

NOVA LEI REGULAMENTA A ATIVIDADE DE BLINDADOS

176
0
COMPARTILHAR

Os casos de sequestro preocupam as famílias brasileiras. Mas não é só isso. Os roubos, furtos e homicídios provocam, cada vez mais, a insegurança de todos. O roubo de carros atinge níveis assustadores. E em muitas cidades, o cenário da violência urbana mostra uma verdadeira guerra, com números que assustam qualquer cidadão.

A consequência inevitável é o medo. E a explosão nos casos de roubos de automóveis tem levado especialmente a mulher a buscar medidas especiais de proteção.  Entre as soluções, a aquisição de carros blindados. Esse recurso, antes quase uma exclusividade de políticos de alto escalão e de grandes empresários, hoje passa a ser uma alternativa cada vez maior do cidadão da classe média brasileira.

Fábricas de vidros blindados não vencem as encomendas e, mesmo em época de crise, os carros protegidos registram grande procura. O Brasil já tem perto de 200 mil carros blindados, uma solução que pode exigir investimentos em torno de 60 mil reais, para a preparação de carros convencionais. Valores que podem aumentar, dependendo dos gastos com pneus e amortecedores, ou da espessura da blindagem, para resistir a tiros de pistolas nove milímetros.

Contudo, não basta procurar qualquer oficina, alerta o advogado especialista Misael Antônio de Souza (11.98274-9950), da empresa Realiza, em São Paulo (misael@realiza.com.br). Explica que há uma série de exigências para se transformar um carro num veículo blindado. É o próprio Exército que autoriza essas mudanças, tendo em vista a grande procura existente no momento.  Várias mudanças foram feitas na documentação que cuida do assunto (Portarias 56 e 57 do Exército).  E o grau de exigência passou a ser muito maior, com informações detalhadas sobre o veículo e proprietário, para impedir ou dificultar ações de criminosos que busquem acesso a esse serviço.  Essa prática tem sido identificada pela Polícia.

Calcula-se que o setor de blindagem poderá crescer, este ano, cerca de 20 por cento, tendo em vista o sentimento de insegurança que cresce no meio urbano. Vale lembrar que a blindagem é melhor adaptada em carros de maior potência, já que os veículos podem perder rendimento e consumir um pouco mais de combustível.

SEM COMENTÁRIOS

Comments are closed.