Gente Que Fala – 11.07.2019

0
64

Nessa quinta-feira, mais uma edição do “Gente do MPD Que Fala”, parceria do Gente Que Fala com o Movimento do Ministério Público Democrático, com o apoio da Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial – CBDL.

Os convidados desse 11 de julho foram:

O Procurador de Justiça aposentado Ricardo Prado, presidente do Movimento do Ministério Público Democrático – MPD;

A advogada especialista em compliance, Gabriela Guimarães, sócia-diretora da FourEthics;

A consultora empresarial Gisele Brandt, especialista em coaching e

O médico patologista clínico Carlos Ballarati, sócio fundador de diversas start-ups na área de Saúde e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial.

Seguindo a pauta apresentada pelo jornalista Mauro Frysman, conversaram sobre os seguintes assuntos:

Câmara e Senado divergem sobre prisão em 2ª instância – Na terça, a Câmara rejeitou uma das principais bandeiras do ministro da Justiça, Sérgio Moro, e dos procuradores da Lava Jato. O grupo de trabalho que analisou o pacote anticrime decidiu retirar do texto a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância. No entanto, a CCJ do Senado se baseou no pacote de Moro e manteve a prisão após condenação em segunda instância;

Mulheres ganham espaço gestão de confederações esportivas – Após um período marcado por escândalos e cortes de verbas em entidades esportivas, um programa de governança nas confederações esportivas tem deixado as entidades mais transparentes e menos suscetíveis a práticas danosas, e as confederações brasileiras de vela, de desportos na neve, de hipismo, de ginástica e de triatlo já destinam pelo menos um terço dos cargos diretivos a mulheres;

Brasileiros criam “detector de doenças” rápido e barato – Um kit desenvolvido por pesquisadores da UFMG será útil no sentido de baratear e democratizar o acesso aos exames, pois pode diagnosticar doenças de forma mais rápida, barata e precisa, com nanotecnologia;

Entenda o que é o cadastro positivo compulsório – A lei que torna automática a adesão ao cadastro positivo entrou em vigor anteontem, mas de forma incompleta; com o cadastro, os consumidores não precisarão fazer nada para ser incluídos no sistema, que atribuirá notas de crédito aos cidadãos. Tais notas serão usadas como referência, por exemplo, na hora de solicitar empréstimos e abrir crediários.

Perdeu o Gente do MPD Que Fala de hoje? Assista agora?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

sete + dezesseis =