ESCREVENDO PARA PEQUENOS LEITORES por Lívio Giosa

0
206

O escritor e professor Lívio Giosa conta sua jornada na literatura infantil

E a criança indignada com a situação, gritou:

– Manhêêê, o tio está rabiscando meu livro!

Situações como estas são comuns quando lidamos com os pequeninos. Que diferença dos adultos!

Ao longo dos últimos anos tive a oportunidade de escrever já sete livros. Destes, quatro são técnicos, voltados para um público com conhecimentos específicos e de vivência profissional. Com conteúdo “mais pesado”, a preocupação de transmitir o conhecimento é muito mais apurada para o público com este tipo de expectativa, já que utilizarão estes ensinamentos para sua carreira e tomada de decisões à luz do apresentado tecnicamente.

Portanto, uma boa bibliografia é necessária, assim como o cabedal adquirido na experimentação positiva com resultados reconhecidos no mercado de trabalho. Neste perfil me encaixo amplamente, tratando nos meus livros sobre Terceirização, Fator Reciprocidade, Marketing e Vendas e Responsabilidade Socioambiental.

No meio desta peregrinação literária, contos e poesias passaram a ser presentes no meu dia a dia, produzindo sem parar prosas e versos. Muitos prêmios e reconhecimentos me levaram a escrever o quinto livro voltado para esta temática.

Quatro anos atrás, um fato relevante começou a mexer com a minha inspiração: estava chegando a hora do nascimento do meu primeiro neto! Recordações afloraram ao tempo também do nascimento dos meus três filhos (um homem e duas mulheres). Quando todos vieram à luz, e para cada um deles, escrevi poesia, artigo em jornal, letra de música, tudo com muita emoção. Me abstraí destes momentos e decidi: junto como meu neto Lucas, nasceria também uma nova inspiração!

A literatura infantil começou a me encantar. Descoberto o mote, criei uma história rica de imaginação, misturando vários elementos que fascinam as crianças, os pais e os professores. O Reino dos Sonhos nasce como uma Coleção de cinco livros com ilustrações do Victor Nunes e que encantam as crianças e servem até de terapia intensiva para os idosos. Com conteúdo pedagógico relevante, os livros já começam a ser utilizados em sala de aula para o ensino fundamental. E aí, a satisfação é imensa e instigante.

Na contação das histórias, a criatividade surge como pauta de interatividade coletiva infantil. E com muitas surpresas deliciosas. O encantamento pela descoberta dos livros pelas crianças nos realiza intensamente. O dia do lançamento, então, é uma festa! E a expressão de indignação da criança citada no início do texto, dá o tom da realidade: Com um sorriso e um abraço interminável, a Aninha entendeu que o tio só estava “dando o autógrafo” no seu livro que agora, levava como um troféu, grudado no seu corpo…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

dezoito − dezessete =