GRANDE PRÊMIO DEMOCRACIA – FOI DADA A LARGADA por Ricardo Sayeg

0
56

O Brasil é uma república federativa formada pela união indissolúvel dos Estados, Municípios e Distrito Federal e se constitui em um Estado Democrático de Direito, que corresponde à soberania popular consistente na institucionalização de que todo o poder emana do povo, que o exerce através de seus representantes eleitos.

Significa dizer que a nossa democracia não é direta, embora a democracia se trate de uma premissa pétrea cravada no âmago do nosso estado de direito.

Não obstante a descomunal força que tem a voz das ruas, nossa democracia é representativa, cujos nossos representantes ocupam os respectivos cargos centrais dos Poderes Executivo e Legislativo, nas três esferas no federalismo nacional, a da União, a dos Estados e a dos Municípios.

Por sua vez, nossa população de mais de 211 milhões de pessoas vive em 5570 Municípios, em todo o Brasil; e, 645, somente no Estado de São Paulo, com seus 44 milhões de habitantes. É na perspectiva do Município que a população vive; e, não na dos Estados ou da União. Ou seja, a cidade é o nosso lar.  

Assim sendo, sob o ponto de vista do bem estar concreto das pessoas, zelo e cuidado com a cidade e suas atividades civis, sociais, culturais e econômicas, as eleições municipais, que escolherá nossos gestores, são importantíssimas.

Com efeito, neste último dia 27 de outubro, a justiça abriu o prazo de permissão da propaganda eleitoral; e, de fato, deu a largada ao início da campanha política das eleições de 2020, para Prefeitos e Vereadores. Então, em 2020, no nosso país haverá eleições de espectro colossal, envolvendo toda o povo brasileiro.

Estas eleições, estrategicamente, são separadas das eleições de Deputados Estaduais e Federais, Senadores, Governadores e Presidente da República. Isto porque, estas eleições municipais estabelecem as bases políticas sobre as quais irão se desenvolver as campanhas nas próximas eleições, quanto à União, os Estados e o Distrito Federal.

Reflita-se, por exemplo, na eleição em 2022 para presidente da república, na qual a vitória será determinada por mais de 50 milhões de votos. Evidente que, além da propaganda eleitoral, propriamente dita, o candidato não tem a menor possibilidade de ter qualquer contato direto com este número impressionante de pessoas. É nesta hora que as bases fazem toda a diferença, pois candidato que não tem base, ainda que tenha espaço de televisão, imprensa em geral e nas mídias sociais, corre o sério risco de cair no vazio.

As bases eleitorais são importantíssimas, fazem campanha incessantemente junto à população; e, certamente as mais fortes serão aquelas vitoriosas nas eleições municipais de 2020.

Em suma, é pelas bases municipais que as candidaturas e partidos políticos fincam suas raízes para as respectivas trajetórias políticas nas eleições subsequentes.

Assim sendo, não se está apenas escolhendo nossos Prefeitos e Vereadores a quem cumprirá zelar e cuidar de nossa cidade, nosso lar, mas também, indiretamente, os Deputados Estaduais e Federais, Senadores, Governadores e Presidente da República, sob o ponto de vista da logística eleitoral através da consolidação das bases políticas de cada um, fortalecida pela vitória no pleito de 2020.

Basta pensar na relevância que têm as eleições da prefeitura do Município de São Paulo, para a sucessão do Governador e do Presidente da República.

Concluindo, esteja consciente ao votar, acompanhe a campanha eleitoral, escolha  cuidadosamente aquele candidato que te representa. Pesquise quem é ele, sua trajetória de vida, seu currículo e suas conexões. Não se aliene, pense que sua escolha reflete em você e nas pessoas que você ama!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

quinze − catorze =