SABIÁS por Mário Rubial

0
89

Não, nada a ver com crônicas sobre ornitologia quando, da minha varanda, com o saco cheio da reclusão causada pelo coronavírus, ficava observando os casais de urubus com suas evoluções no céu.

Quero falar do magnífico livro lançado pela Editora Autêntica “ Os sabiás da crônica”.

Que timaço!

Vejam só: crônicas maravilhosas de Rubem Braga, Vinicius de Moraes, Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos, Stanislaw Ponte Preta e José Carlos Oliveira.

E isso no ambiente do Rio, anos 60/70.

Época maravilhosa onde tudo era poesia, e com segurança!

O Rio é minha paixão desde que comecei a frequentar por causa do meu trabalho nas empresas que tinham sede naquela cidade.

E minha predileção pelos botecos acabaram por me levar aos icônicos frequentados por toda gloriosa boemia carioca.

Deu tempo de conhecer a Uisqueria Bico Doce, no Beco das Cancelas e o Sentaí, restaurante da zona portuária do Rio, especializado em lagostins e recentemente fechado.

Tem também o Bar Luís, na Rua da Carioca, lutando para reabrir.

Apesar de paulistano da gema, sinto-me tão carioca quanto qualquer um nascido no Rio. Dos sabiás citados, somente Vinicius e Sérgio Porto (Stanislaw) são cariocas. Sabino e Paulo Mendes Campos são mineiros, Rubem Braga e Carlinhos Oliveira capixabas.

Do Carlinhos lembro uma deliciosa crônica contando um assalto no Álvaro’s exatamente quando os frequentadores de sempre estavam no local.

Escreve o Carlinhos, mais ou menos com as seguintes palavras:

“De repente, o assaltante entra armado e grita:

– Todos para o banheiro.

E lá fomos onde permanecemos bem apertados a ponto da porta não se fechar totalmente.

Como dava pra ver a movimentação do ladrão que estava “rapando” o dinheiro do caixa, Carlinhos teve uma brilhante ideia:

Gritou para o ladrão:

– ROUBE TAMBÉM OS VALES! ROUBE OS VALES DOS NOSSSOS PINDURAS!”

Oportuno, não é mesmo?

Outra passagem igualmente engraçada foi protagonizada pelo Vinicius.

Boêmio, vez por outra internava-se na Clínica São Vicente, na Gávea. Lá permanecia alguns dias para desintoxicar da comida e principalmente da bebida.

Certo noite apareceu num encontro de boêmios e mandou bala no whisky. Diante do espanto de todos, afinal estava numa clínica, disse na maior tranquilidade:

– Não se preocupem com o adiantado da hora. Tenho a chave da entrada principal!

FRASE DE BOTECO

Ao contrário dos bêbados, é durante a  ressaca que o mar se mostra mais furioso.

Eno Teodoro Wanke

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

dezoito + 2 =