EM BUSCA DO CAPPELLETTI PERFEITO por Mário Rubial

0
97

Continuando com minhas lembranças da bela Itália, constato que estou sentindo muita falta do cappelletti. Massa delicada que é preciso muita competência para elaborar. E não basta qualquer recheio. É aí que mora o segredo.

Recordo do melhor cappelletti que comi na minha vida, incluindo os de Bologna no restaurante Bottega Portici . Feito aqui no Brasil por um nordestino – sempre eles, maravilhosos cozinheiros – chamado José Gomes.

Zé Gomes ou Giuseppe como se autointitulava, veio com outros conterrâneos liderados pelo Elói que entre outros restaurantes trabalhou no Trastevere. O maledetto do Zé fazia o cappelletti  um por um, e eu ia buscar todos os domingos de manhã. Comprava a porção necessária para o almoço da família e acrescentava mais umas 100 gramas que ia comendo com muita volúpia no trajeto para casa. Cru mesmo. Era tão bom, mas tão saboroso, que nem precisava cozinhar.

Tempo que passa e o Zé Gomes mudava de endereço, nome do restaurante – Via Veneto, Remo e Rômulo – e eu indo atrás. Até que um dia, no último endereço perto da Rua Tito na Pompéia, encontrei tudo fechado. Ninguém sabia do paradeiro, nenhuma notícia. Resumindo: o melhor cappelletti do mundo tinha sumido sem deixar nenhuma informação. Tentei encontrar um empregado, assistente, mas nada.

Fui inclusive na origem do grupo de nordestinos que começaram a trabalhar em Sampa.

O início foi na Cantina Roma fundada em 1954. Fui até lá. Comprei na loja do restaurante. Fui para casa todo feliz. Aprontamos o almoço e… nada parecido com o cappelletti do Zé Gomes.

Alguém sabe de alguma pista?

FRASE DE BOTECO

Mangia bene, ridi spesso, ama molto.

Ditado italiano

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

vinte + doze =